12 de janeiro de 2018 às 04:00

CES 2018: Chefão da Ford fala "mal" do carro e muda estratégia da marca

CEO global da empresa, Jim Hackett acaba de assumir o cargo e falou em palestra na CES: vai apostar na venda de serviços de mobilidade

O presidente mundial da Ford, Jim Hackett, liderou a apresentação da marca na abertura oficial da CES 2018, nesta semana. Na mais importante feira de tecnologia do mundo, no entanto, não é comum que o discurso seja feito por um CEO de uma montadora de automóveis -- normalmente, são os chefes de desenvolvimento de novas tecnologias das fabricantes os encarregados por esse tipo de apresentação.

Porém, a aparição de Hackett faz sentido, afinal cada vez mais montadoras estão presentes na feira de Las Vegas para mostrar quais são suas visões sobre o futuro da mobilidade.

O executivo explicou exatamente isso e revelou como a Ford planeja mudar radicalmente o seu negócio. "Queremos passar de vender carros aos consumidores para entregar serviços de mobilidade", resume.

CES: Hyundai Nexo promete 800 km de autonomia
+ Carros que aprendem, falam e dirigem sós: isso atrai ou assusta?
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram oficial de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter

Esta é uma diretriz já apontada por outros fabricantes, como Mercedes-Benz e Toyota. No entanto, a Ford, longe da liderança de vendas nos principais mercados, parece agora querer apostar mais forte nessa estratégia.

Por conta disso, o executivo desafia sua própria indústria ao reconhecer que a evolução capitaneada por Henry Ford ofereceu liberdade, criando estradas, mas também comprometeu centros urbanos com congestionamentos e poluição, destacando os "malefícios" do automóvel. "Ao entregar um tipo de liberdade, acabamos nos restringindo a outra", afirmou o CEO, mesmo estando ao lado do bisneto do fundador da empresa, Bill Ford, que participou da sessão.

A ascensão de Hackett, que chefiava a área de mobilidade da marca, a presidente-executivo, no ano passado, é uma mensagem clara. Na CES, ele anunciou os passos para a construção de um "ecossistema de mobilidade" nos próximos anos para a criação do que chamou de "cidades conectadas". "A tecnologia se desenvolveu à custa de um senso compartilhado de pertencimento", explicou.

CES 2018 mostra carros inteligentes e conectados

Além do Fine Comfort Ride, a Toyota trouxe outros conceitos de Tóquio a Las Vegas, todos da linha i Series: à esquerda, temos um modelo totalmente autônomo e que consegue sacar o estado de espírito dos ocupantes; à direita, um autônomo para uma pessoa e mais a cadeira de rodas, que auxilia pessoas com deficiência de mobilidade

Outra apresentação feita pelo grupo Toyota foi da fase 3.0 do projeto de carro autônomo; infelizmente, a tecnologia foi mostrada com um Lexus LS600 antigo e com radares ainda aparentes

Volvo XC90 e caminhão de grande porte da frota do Uber, com tecnologia semi-autônomas, estão em estado avançado de teste nas ruas de diferentes cidades dos EUA; a promessa é que serviços de transporte de pessoas e de cargas sobre rodas sem a presença do motorista estejam disponíveis em breve

Também no ramo de transportes e serviços, temos essa proposta da Navya: taxi autônomo Autonom Cab faz demonstrações reais no estacionamento do centro de convenções que abriga a CES, em Las Vegas, usando tecnologia da Valeo

Pode reparar: esse táxi-robô, totalmente autônomo, não parece saído de algum filme de ficção científica tendo Arnold Schwarzenegger como protagonista?

Marca sul-coreana apresenta o crossover Nexo, modelo totalmente inédito movido a célula de hidrogênio que traz tecnologias semi-autônomas de condução e autonomia de até 800 quilômetros por carga

Hyundai também confirmou que o Nexo servirá de base para outros 18 modelos ecologicamente corretos que serão lançados pela marca até 2025

Ford é a principal palestrante da CES 2018: seu presidente global de mercados, Jim Farley (na foto), bem como o presidente-executivo Jim Hackett apontam o futuro: não apenas fabricar automóveis, mas fornecer tecnologias de carro autônomo e de mobilidade do transporte para outras empresas

A ideia da Ford é se dedicar a desenvolver o que chama de "Cidade do Amanhã" e "Nuvem de Mobilidade e Transportes"; além da cidade de Detroit e arredores, empresas como Domino's (a pizzaria), Postmates e Lyft (rival do Uber) já foram citadas como clientes da nova iniciativa da Ford

Por ora, nenhum modelo novo: a conhecido Ford Fusion serve de "carro de teste" das tecnologias autônomas e de conectividade da "Ford do Futuro"

Qual a possível ligação entre a Sony e carros? Por ora, apenas fornecer sistema de som, mas Kazuo Hirai, chefão da empresa japonesa fala sobre o desenvolvimento de sensores super potentes para carros autônomos que equiparão, por exemplo, os modelos da BMW num, futuro não muito distante

A Kia faz um segundo conceito do SUV Niro, desta vez com porte maior e alta tecnologia a bordo

Kia Niro EV (elétrico) promete autonomia de quase 400 quilômetros, tem sistema autônomo de direção, sistema multimídia desenvolvido junto com o Google que conversa com ocupante e entende seu estado de humor e comunicação total com internet 5G

A partir da próxima geração, o smart passa a ser não apenas um micro-carro colocado à venda pela Mercedes-Benz, mas um serviço de carros urbanos elétricos e compartilhados, que você poderá usar com um toque na tela do celular, a exemplo do que já faz com o Uber

Um carro pode aprender a dirigir, literalmente, com o motorista? Essa é a aposta da Nissan com sua tecnologia "Brain-to-Vehicle"; ideia é entender o que acontece no cérebro do condutor e aplicar dados à rede de modelos autônomos. Não é para substituir condutores (inicialmente), mas ajudá-los a dirigir melhor

O primeiro passo é o desenvolvimento de uma “plataforma em nuvem” com a start-up "Autonomic", do Vale do Silício, para organizar sistema e infraestrutura de transporte, em código aberto de software e a entrada de outros parceiros que prestam serviços.

Na sequência, diz Hackett, estão avanços na comunicação entre veículos comuns e os carros autônomos. Programas pilotos com empresas de entrega já estão em andamento -- e alguns podem até ser vistos na CES.

As palavras de Hackett agradam a outros executivos da centenária Ford, uma das criadoras da estrutura que chamamos de indústria automotiva? Parece que sim. O vice-presidente da Ford, Jim Farley, também presente na feira, é até mais direto e menos poético.

"Sempre que você não está transportando bens ou pessoas neste negócio, você está perdendo dinheiro", completou Farley, também presente à CES.

UOL Carros tem papo inteligente com novo Mercedes Classe A

Hyundai Nexo promete 800 km de autonomia

Táxi voador?

Fonte: UOL

comentários

Estúdio Ao Vivo