https://melhorfm.com.br/feed/

Após região regredir em plano de retomada econômica, Piracicaba anuncia novo fechamento do comércio a partir de segunda

Após o Governo do Estado de São Paulo anunciar a regressão da região de Piracicaba (SP) para a fase vermelha do Plano SP, em prevenção à pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura de Piracicaba (SP) anunciou que vai seguir as recomendações estaduais e publicar um decreto proibindo atendimentos presenciais em estabelecimentos considerados não essenciais, de segunda-feira (29) até 5 de julho.Em live transmitida por redes sociais, o prefeito Barjas Negri (PSDB) informou que serão adotadas as mesmas restrições que existiam até 1º de junho. Com isso, voltarão a fechar comércios não essenciais, imobiliárias, escritórios, imobiliárias e o shopping.

“Isso é para a segurança e saúde da população, para diminuir o número de casos em acompanhamento e óbitos na cidade e cidades da região”, justificou o chefe do Executivo.
Ele observou que cidades do entorno já tinham anunciado o fechamento das atividades e que Piracicaba, isoladamente, tem “bom número” de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), bom número de leitos de enfermagem, taxa de ocupação “bastante razoável” e estabilização na média na taxa de crescimento de casos, embora eles sigam ocorrendo.
“Se Piracicaba fosse isolada, estávamos na faixa laranja, indo para a amarela, mas como pertencemos à DRS (Departamento Regional de Saúde), fomos enquadrados todos na vermelha, para a segurança da saúde das pessoas”, afirmou Barjas, explicando que as medidas são tomadas de forma regional devido à circulação de pessoas entre os municípios.
“Hoje há 100 UTIs com respiradores [na rede privada e pública]. Hoje, fechou o dia entre 56% e 57% de ocupação desses leitos. Temos retaguarda suficiente caso haja expansão no número de casos”, garantiu.
Ele também lembrou que foram enviados respiradores a cidades da região nas últimas semanas, mas que isso não foi o suficiente para mantê-la na fase laranja.
Fiscalização
O chefe do Executivo citou que um decreto será publicado para oficializar a suspensão da flexibilização da quarentena e que serão acionados a Fundação de Defesa e Proteção do Consumidor (Procon), Guarda Municipal e Polícia Militar para auxílio nas fiscalizações quanto ao cumprimento das restrições.
Também será realizada uma articulação com entidades do comércio para que saibam o que ocorreu e ajudem a informar os filiados.
Barjas também pediu auxílio da população e comércio no cumprimento das medidas e que, se houver melhora no cenário, será possível fazer nova flexibilização.
O Departamento Regional de Saúde (DRS) de Piracicaba registrou o maior aumento percentual de óbitos entre as regiões do estado na atualização desta sexta. A conta compara o número de mortes pela Covid-19 nos últimos sete dias em relação aos sete dias anteriores. Nesse cenário, a região teve uma variação de 2,07, ou seja, mais que o dobro de mortes.
Com a decisão, as prefeituras das 26 cidades do Departamento Regional de Saúde (DRS) de Piracicaba deverão regredir na reabertura. São elas:
Águas de São Pedro
Analândia
Araras
Capivari
Charqueada
Conchal
Cordeirópolis
Corumbataí
Elias Fausto
Engenheiro Coelho
Ipeúna
Iracemápolis
Itirapina
Leme
Limeira
Mombuca
Piracicaba
Pirassununga
Rafard
Rio Claro
Rio das Pedras
Saltinho
Santa Cruz da Conceição
Santa Gertrudes
Santa Maria da Serra
São Pedro
Cosmópolis, Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste fazem parte do DRS de Campinas, apesar de serem da área de cobertura do G1 Piracicaba. Esses municípios permanecem na fase laranja, conforme determinado para a região de que fazem parte.

Taxa de ocupação de leitos
O plano também detalha a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na região, que é de 66,3%. Na última atualização do plano, a taxa era de 60%.
O número de leitos também aumentou. No dia 8 de junho eram 8,4 leitos para Covid-19 a cada 100 mil habitantes na região. No dia 19 de junho, eram 10,2. E nesta sexta (26), o número é de 11,6.
Movimento em área comercial de Piracicaba durante a pandemia do coronavírus

O Plano São Paulo criou cinco fases de reabertura a partir de critérios como a taxa de ocupação de leitos UTI para Covid-19, quantidade de leitos UTI para pacientes com a doença por cada 100 mil habitantes e os números de casos e mortes.
A classificação das regiões do estado por cores serve para indicar aos prefeitos destas áreas quais as atividades que podem ser autorizadas.
Fase 1, vermelha: alerta máximo, funcionamento permitido somente aos serviços essenciais.
Fase 2, laranja: controle, possibilidade de aberturas com restrições.
Fase 3, amarela: abertura de um número maior de setores.
Fase 4, verde: abertura de um número maior de setores em relação à fase 3.
Fase 5, azul: “Normal controlado” – todos os setores em funcionamento, mas mantendo medidas de distanciamento e higiene.
Entenda algumas das expressões mais usadas na pandemia do covid-19

Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba