https://melhorfm.com.br/feed/

Ocupação de leitos de UTI no Hospital Regional de Piracicaba chega a 94,4%


Nas 26 cidades que compõem o Departamento Regional de Saúde de Piracicaba, ocupação da terapia intensiva é de 70,8%, abaixo apenas da Grande São Paulo e Baixada Santista. Hospital Regional de Piracicaba deve ser inaugurado nesta sexta
Davi Negri
Uma das principais portas de entrada para internações de pessoas com Covid-19 na cidade, o Hospital Regional de Piracicaba (SP) tem 94,4% dos seus leitos de cuidados intensivos ocupados neste domingo (31).
Já nas 26 cidades que integram a regional de saúde de Piracicaba, a taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) era de 70,8% no sábado (30). Os dados são do Censo Covid, que reúne dados do governo estadual.
No Hospital Regional, dos 18 leitos existentes na UTI neste domingo, 17 estão ocupados, 16 deles por pacientes com Covid-19.
Dos 42 leitos destinados à internação clínica e cirúrgica na unidade, 18 estão ocupados, o que representa 42,8%. Destes, 10 acolhem pessoas com a Covid-19.
Maioria de Piracicaba
O G1 apurou que na sexta-feira (29), quando 16 pacientes estavam internados em leitos de cuidados intensivos, 10 eram de Piracicaba. Americana era a cidade de origem de dois pacientes, enquanto Elias Fausto, Charqueada, Analândia e Rio Claro tinham um paciente cada em UTIs da unidade de saúde.
No dia 21 de maio, o governo estadual informou ao G1 que a ocupação era de 83% na UTI (15) e de 54% na enfermaria (23).
“Vale lembrar, no entanto, que essas taxas variam no decorrer do dia, em virtude de fatores como altas ou óbitos, por exemplo. Havendo a necessidade, mais leitos serão ativados para atender a região”, acrescentou a Secretaria de Saúde do Estado.
Centro de Triagem do Novo Coronavírus, que funciona na UPA Piracicamirim em Piracicaba
Daiany Oliveira/EPTV
‘Satisfatório’
No decreto no qual estipulou as normas para a reabertura do comércio, shoppings e concessionárias, com restrições, a Secretaria Municipal de Saúde de Piracicaba apontou que “é satisfatório até o momento” o controle da propagação do vírus no município, “eis que o número de casos confirmados até 27/05/2020 é de 498 casos, ou seja, 0,12% da população do município de Piracicaba”.
Considerando toda a rede de saúde da cidade, na quinta-feira (28), 42,8% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva disponíveis para tratamento da Covid-19 na cidade estavam ocupados. Os dados se referem à estrutura pública e privada.
Cenário regional
A nível regional, as unidades de saúde que integram o Departamento Regional de Saúde (DRS) de Piracicaba tinham 70,8% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados no sábado (30), ficando atrás apenas da Grande São Paulo e Baixada Santista. Já a ocupação de enfermarias é de 37,4%.
Vinte e seis cidades integram a DRS de Piracicaba:
Águas de São Pedro
Analândia
Araras
Capivari
Charqueada
Conchal
Cordeirópolis
Corumbataí
Elias Fausto
Engenheiro Coelho
Ipeúna
Iracemápolis
Itirapina
Leme
Limeira
Mombuca
Piracicaba
Pirassununga
Rafard
Rio Claro
Rio das Pedras
Saltinho
Santa Cruz da Conceição
Santa Gertrudes
Santa Maria da Serra
São Pedro
Aumento de custeio
Três hospitais de Piracicaba (SP) tiveram 31 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) adulto habilitados pelo Ministério da Saúde, na quinta-feira (28), para ter custeio diário dobrado pelo Governo Federal no período de atendimento aos pacientes diagnosticados com o novo coronavírus (Covid-19).
Com isso, o valor diário desses leitos sobe de R$ 800 para R$ 1,6 mil. Veja abaixo tabela.
Leitos habilitados em Piracicaba
O pedido de habilitação para o custeio é feito pelos municípios, com anuência do estado. Eles precisam garantir a estrutura para funcionamento dos leitos, enquanto a União repassa o valor destinado à manutenção dos serviços.
“A garantia do repasse dos recursos é dada por meio de habilitação concedida pela pasta, em caráter excepcional, por um prazo de 90 dias, podendo ser prorrogada enquanto houver emergência em saúde pública”, diz nota do ministério.
Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba